segunda-feira, 29 de março de 2021

INTERFERÊNCIA POLITICA DO MDB PROVOCA TERROR EM QUATRO FAMÍLIAS DE LAGOA NOVA

O fato mais comentado na cidade de Lagoa Nova neste momento é o terror que está sendo vivenciado por quatro famílias da cidade, em função da ameaça de demissão de um dos quatro funcionários da empresa de terceirização de mão de obra, Clarear, que presta serviços à Fundação Djalma Marinho, órgão vinculado à Assembleia Legislativa do RN.Os funcionários prestam seus serviços na torre de transmissão da TV Assembleia, instalada no município, todos com cerca de dez anos na empresa. 
A informação que circula e que, inclusive já foi divulgado na emissora de rádio FM 87,9, é que forças políticas locais, ligadas ao MDB, estariam pressionando a Fundação Djalma Marinho para demitir funcionários atuais para colocarem pessoas ligadas ao sistema político do prefeito da cidade, sr. Luciano Santos. Segundo relatos dos próprios funcionários, um irmão do vereador Emidio do MDB, mesmo partido do prefeito, foi ao local de trabalho deles para coletar informações sobre valor de salário e horário dos turnos, oportunidade em que, com toda autoridade informou que iria assumir o lugar de um deles e ainda exigiria o turno da noite para poder continuar tomando conta dos seus maracujás durante o dia. 
Dias depois, um dos funcionários recebeu aviso prévio da empresa, sem que nenhum motivo houvesse ocorrido. Diante do recebimento do aviso prévio e na iminência de ficar desempregado, tendo uma numerosa família para sustentar, o funcionário procurou um deputado estadual que interferiu em sua defesa junto à Fundação Djalma Marinho e consequentemente o aviso prévio foi suspenso. 
Ocorre que no dia 18 de março um segundo funcionário recebeu o aviso prévio e também está procurando um deputado estadual para socorre-lo. Com esses episódios criou -se um clima de pânico e terror entre as famílias desses cidadãos trabalhadores, pela certeza que eles têm de que algum deles terá de ser demitido para dar lugar ao irmão do vereador. 
Comentam também que a essa altura do campeonato a única preocupação do vereador Emílio é ficar desprestigiado com o resultado final desse episódio e já houve até quem sugerisse arranjar uma farda da empresa para o irmão do vereador usar e desfilar na cidade como se fosse funcionario da empresa, mesmo ser, para não ficar tão feio. O caso está virando chacota.

Como Tudo Começou

Segundo fontes muito bem informadas e de alta credibilidade, o prefeito de Lagoa Nova, amigo pessoal e apoiador do presidente da Assembleia Legislativa, acompanhou o vereador Emílio em uma visita a um dirigente da Fundação Djalma Marinho para exigir uma vaga de emprego na empresa terceirizada, usando de seu prestígio e sua força junto ao deputado Ezequiel.

Agora o que a população não entende é que o prefeito com quase uma centena de cargos comissionados na própria prefeitura, sob seu comando, se presta a cometer uma injustiça com um chefe de família que se encontra cumprindo seus deveres numa empresa que não tem nenhuma reclamação de qualquer tipo de falta de seu colaborador.

Seria então algum tipo de perseguição? ou a prática de uma política desumana com o único intuito de beneficiar um integrante do seu grupo? Por que não praticar esse favoritismo não republicano sem prejudicar a quem precisa?

A grande expectativa das famílias aterrorizadas é saber quem será o demitido ou se o aviso prévio será suspenso. Mas pelo visto esse assunto esbarrará nas hostes do Ministério Público do Trabalho, afinal interferência política nas relações trabalhistas de uma empresa privada é algo inaceitável pela sociedade.


Nenhum comentário :

Postar um comentário