terça-feira, 8 de agosto de 2017

Francisca Elita Victor uma mulher à frente de seu tempo

Francisca Elita Victor e seu esposo José Luís Victor

Em 29 de setembro de 1914, nascia na cidade de Acari, Francisca Elita Victor(In memoriam), filha do marchante luís Correia Barbosa e da dona de casa Honorara Maria da Conceição. Sua infância foi de muito trabalho na agricultura ao lado de seus pais e 9 irmãos, sendo 04 mulheres e 05 homens. Seu pai homem rígido e exigia obediência em todos os momentos, principalmente na horas das refeições, onde todos se reuniam ao redor de uma esteira e tinham que se alimentar sem olhar para o seu rosto, pois na época não era considerado atitude de respeito, além de esperar ele ser servido primeiro, de modo que as melhores porções lhe eram destinadas.
Francisca Elita Victor estudou até o terceiro livro, considerado o 3º ano do primário, mais não progrediu, pois tinha que trabalhar e as condições na época eram muito difíceis. No ano de 1937 foi enviada para Lagoa Nova onde residiu na residência de sua irmã Ozana. Em 1938 começou a namorar com José Luís Victor, com quem veio a casar e desta união nasceram 11 filhos.
Francisca Elita Victor no interior de sua casa de farinha

Considera uma mulher à frente de seu tempo, dedicou-se a colaborar na organização dos festejos do padroeiro do município, até 1961, ano em completou    25 anos á frente da coordenação da parte social.
Neste período decidiu montar uma fábrica e de bolachas e cocada, onde comercializava em Lagoa Nova e em Cerro Corá, ajudada pelo seu filho Zé Olavo por seus sobrinhos filhos de Tetê.
A partir de 1961 decidiu se dedicar a agricultura, comprou terras e fundou a primeira casa de farinha motorizada, onde gerou emprego e renda para diversas famílias. Ela priorizava empregar mulheres em sua casa de farinha, pois segundo ela, “mulher tem que tem que ter o seu dinheiro para cuidar melhor de seus filhos, e não pode ficar dependendo do marido”. Com essa visão foi umas das fundadoras da festa do agricultor, juntamente com o padre Penha, organizando o café e o almoço dos agricultores que eram feitos de forma compartilhada.
Festa do agricultor
Foi vereadora por dois mandatos, na época não existia remuneração para exercer o cargo, foi parteira, comercializou leite em sua residência por mais de 15 anos, e com o dinheiro da venda conseguiu pagar durante um ano as despesas com o seminário, onde seu filho Serafim estudava. Fundou o clube das mães, onde as mães se encontravam para discutir sobre a educação dos filhos, hospedava professoras que vinham ao município de modo a garantir a educação dos filhos e das crianças da comunidade.   
Tomando posse no mandato de vereadora
Uma de suas frases marcantes era “Não sou filha de Lagoa Nova, mais meu amor é maior por esta cidade, pois aqui estão minhas raízes”
Francisca Elita Victor faleceu em 21 de maio de 2000, de prole deixou 11 filhos, 35 netos e 38 bisnetos.
Extraído do livro RETALHOS DE UMA VIDA, da professora Maria do Socorro Coutinho Borges
Fonte de pesquisa, Marília Elita Victor


Nenhum comentário :

Postar um comentário